Medição e acompanhamento das mudanças comportamentais dos participantes (BCP)

Objetivo: Através de pesquisas periódicas com as pessoas que fazem parte do ecossistema dos colaboradores, conseguimos medir os resultados de mudança de comportamento (do grupo e individualmente) após o início do programa e avaliamos a evolução nos indicadores comportamentais ao longo de toda a jornada de transformação e desenvolvimento, o que chamamos de BCP (Behavior Change Percentage).

1.) Aplicação de um assessment, focado nas competências do contexto da organização (BCP - Behavior Change Percentage)
Criado em parceria com a equipe de RH/DO, visa mapear as competências “soft skills” a serem desenvolvidas nos participantes. O formulário para preenchimento individual é criado e enviado aos colaboradores. A metodologia é baseada em escala de frequência de comportamentos, e não qualidade do mesmo.

2.) Consolidação dos resultados, definição das prioridades individuais e cenários de agrupamento
É gerado um relatório consolidado para a equipe de gestão do programa, mostrando as escalas com as respostas, mapeamentos das oportunidades e possíveis cenários dos grupos de trabalho para as várias frentes. Esse relatório é então validado e as informações servem para o desenho do plano de trabalho por grupo.

3.) Definição de 1 GAP para todos trabalharem em grupo
São definidos  grupos em cada ciclo, de acordo com o mapeamento das necessidades. Mudando o ciclo, pode-se mudar o grupo. O que define a composição do grupo é a oportunidade apresentada no assessment inicial.

4.) Ações de Desenvolvimento (soft skills)
Durante o ciclo de desenvolvimento, o facilitador da SETA usará de diversas técnicas e recursos para o desenvolvimento do desafio definido: Group/ Peer Consulting; Fundamentos de Coaching (ICI); Pílulas de Conhecimento (LIVE/ Plataforma Digital US), Mentoria Reversa, Cross-Meetings, Train-The-Trainers, Experimentação, Action Learning,. Além disso, cada participante terá a sua própria lista de ações/ tarefas/ experimentos para serem executadas no período.

5.) Encontro de todos os grupos, para compartilharem seus aprendizados
Encontro com todos os grupos para troca da experiências e aprendizados do ciclo e definição/ perspectivas para o novo ciclo

6.) Checkpoint: aplicação de um novo assessment, tanto individual como coletivo (BCP - Behavior Change Percentage), focado na competência trabalhada ao longo da jornada
Realizamos uma pesquisa focada na competência/comportamento trabalhado no ciclo, tanto auto reflexão, como para as pessoas indicadas pelos colaboradores envolvidos no programa (ecossistema). Dessa forma, podemos medir as evoluções individuais e deixar as recomendações para manutenção dos novos hábitos. Usamos uma referência entre 50-60 dias de ciclo baseadas em estudos que mostram quanto tempo é necessário para a consolidação dos novos hábitos.

Além do relatório/ feedback individual, é gerado o relatório consolidado para o RH/DO para acompanhar a evolução do grupo como um todo.

Onde executamos
Suzano, Plaenge, Dafiti, Baker Hughes, entre outros