Implementação de uma Gestão Ambidestra

Como formar Líderes capazes de tirar o melhor do atual Negócio, mas que sejam, ao mesmo tempo, capazes de tirar vantagem das mudanças que estão ocorrendo, tornando a Organização ainda mais competitiva?
 
Líder Executor vs Líder Ágil
 
O Líder Executor possui a capacidade de executar mudanças que tragam resultados através de outras pessoas. Beneficia-se de uma abordagem analítica / lógica (Mundo Complicado), mantém a competitividade e é capaz de tirar o melhor do modelo atual de Negócio

Por outro lado, o Líder Ágil é capaz de inspirar as pessoas para se adaptarem às constantes mudanças geradas em um mundo  B.A.N.I. (“Brittle, Anxious, Nonlinear, Incomprehensible”, ou Frágil, Ansioso, Não-linear e Incompreensível) em torno de um propósito inspirador. Beneficia-se de uma abordagem empírica / criativa (Mundo Complexo) e busca por novas oportunidade e inovações que possam aumentar a competitividade do Negócio
 
A verdade é que os 2 estilos de liderança coexistirão nas Organizações nos próximos anos. Um fortalecendo o Negócio atual e o outro buscando vantagem competitiva nas constantes e inevitáveis mudanças do ambiente de Negócios. É o conceito de Organizações ambidestras de Michael Tushman e Charles O’Reilly.
 
A Liderança Ágil complementa as habilidades e competências do Líder Executor.

Uma empresa ambidestra é capaz de trabalhar para manter o seu desempenho corrente (“exploitation”) enquanto vence a inércia organizacional, moldando um novo futuro (exploration).

Trata-se de um caminho viável para o futuro que vem à frente, onde é necessário manter o negócio vencedor que vem respondendo pelo caixa da organização há anos, mas que precisa se tornar mais flexível e ágil para responder rapidamente às mudanças geradas por novas tecnologias de conectividade, comunicação e informação.

As organizações estão buscando rever os seus modelos atuais de formação e desenvolvimento para que os atuais líderes sejam capazes de adquirir os novos comportamentos tão importantes neste novo momento.
 
Processos de avaliação de desempenho começam a ser revistos para aumentar o nível de consciência da atual Liderança e, ao mesmo tempo, gerarem a mudança de comportamento necessária.

A SETA vem ajudando diversas organizações a reunirem o melhor dos dois mundos, combinando, por exemplo, estratégias de Excelência Operacional, e Gestão tradicionais com os Valores e Princípios “Ágeis”.