Por que Organizações investem em Programas de Excelência Empresarial / Operacional?

16/01/2017 No final do dia é tudo sobre ter um Negócio com melhor performance e ter os melhores e mais bem preparados colaboradores para liderarem a Organização

Não importa qual metodologia foi escolhida pela organização, pois no final do dia, o que se espera ao investir em um Programa de Melhoria de Performance Empresarial (“Business Process Excellence” – BPEX) é entregar no curto e médio prazo melhores resultados para a Organização e desenvolver no médio e longo prazo habilidades de Liderança nos seus colaboradores.
Quando uma organização opta por uma metodologia consagrada como Seis Sigma, BPM, Lean Manufacturing, Gerenciamento de Projetos, entre outras, ela simplesmente define qual será o formato escolhido para o Programa de Excelência Operacional.
É preciso entender a razão maior que está por trás do esforço em implementar um Programa de Excelência Operacional / Empresarial e adequar o discurso de acordo com o que é esperado pelos Executivos e demais colaboradores da Organização.
 
Fundamentos - a base para um Programa de Excelência Empresarial bem-sucedido

Apenas anunciar que irá implementar um Programa de Excelência Empresarial e treinar as pessoas não é o suficiente. Esse artigo visa apontar elementos básicos que fazem parte de Programas de Excelência Empresarial de sucesso, independentemente da metodologia escolhida.

● Merecer o apoio da Alta Liderança – o Programa deve ajudar a Alta Liderança e nunca ser “mais uma tarefa ser entregue no final do dia”



Há sempre o risco de ser apontado como “clichê” dizer que algo precisa do apoio da Alta Administração. Seria melhor dizer que algo “ merece a atenção da Alta Administração “. E a única forma de merecer a atenção da Alta Administração é que o Programa de Excelência Empresarial os ajude a entregar os seus objetivos, sejam eles financeiros, performance operacional, satisfação do cliente, clima organizacional, meio ambiente ou sociedade.
Dessa forma, os projetos a serem desenvolvidos têm que estar intimamente relacionados às metas da organização e aos “assuntos quentes do momento”.
Em outras palavras, o Programa de Excelência Empresarial deve ser “meio” para entregar resultados melhores e desenvolver pessoas e não “ fim em si próprio”.
A participação da Alta Administração pode ser feita de forma direta, com os seus membros participando ativamente dos projetos e da sua condução, ou pode ser uma participação mais indireta servindo como um recurso ou parte interessada que é mantida informada.

● Envolvimento dos colaboradores – a crença em algo maior



Para fazer as pessoas que estão no nível mais operacional subirem a bordo de um Programa de Excelência Empresarial é necessário fazer com que enxerguem o “motivo maior” que está por trás do Programa e como a empresa e elas próprias podem se beneficiar da iniciativa.
O que mais funciona aqui é dar às pessoas a correta noção que o Programa é um “acelerador de carreira “. Realizar um projeto importante para a organização e ter sucesso é uma grande oportunidade de exposição e de lapidar a imagem perante a Alta Administração.
Faça com que as pessoas sintam que liderar (ou mesmo participar) de um projeto é um “ Piloto de Liderança”

 ● A figura dos facilitadores / multiplicadores – não negligenciar a quantidade de energia e dedicação necessários na fase inicial do Programa



Aqui a necessidade de multiplicadores / facilitadores dependerá muito do escopo da iniciativa. Se estamos falando de uma iniciativa que pretende impactar toda a organização e realizar uma Transformação Organizacional sugiro termos um grupo de facilitadores / multiplicadores 100% do tempo dedicados nos primeiros anos da iniciativa e, eventualmente, contar com a ajuda de um especialista externo ou uma empresa de Consultoria.
Se estamos falando de uma iniciativa que ficará restrita a um grupo de profissionais ou a algumas áreas na empresa, talvez se consiga sucesso utilizando-se parcialmente alguns recursos que se encontram na Organização ou com a ajuda de um especialista externo ou Consultoria.

● Não confundir disciplina e gestão do conhecimento com burocracia



Uma das grandes vantagens que um Programa de Excelência Empresarial traz para uma Organização é disciplinar e documentar todas as ações que estão sendo tomadas na Organização para melhorar a sua performance.
Deve-se ter o cuidado de não exigir documentação excessiva (alguma flexibilidade é bem-vinda), mas também não se deve tratar tudo informalmente , pois perde-se a disciplina de evolução dos projetos e a sinergia gerada pelo uso da metodologia e de ferramentas comuns a todos os participantes.
A quantidade de documentação exigida deve ser definida com muito bom senso e constantemente revisada de acordo com o grau de maturidade e evolução do Programa dentro da Organização.
 

● A Governança do Programa de Excelência Empresarial




Crie indicadores que meçam o impacto do Programa de Excelência Empresarial nos resultados esperados para a Organização e no desenvolvimento dos colaboradores.
Apresente o progresso do Programa, ao menos, trimestralmente e garanta que os indicadores continuam refletindo o impacto nos principais assuntos de Negócio e naquilo que é relevante para a Alta Administração.
Lembre-se sempre do principal motivador de um Programa de Excelência Empresarial:
 
“ ...no final do dia é tudo sobre ter um Negócio com melhor performance e ter os melhores e mais bem preparados colaboradores para lideraram a Organização ... “




* Alberto Pezeiro

CEO e fundador da Seta Desenvolvimento Gerencial, Ex-executivo de RH, Gestão, Vendas e Manufatura da GE, FORD e VW. Foi professor de MBA e Pós Graduação na Fundação Vanzolini ( Poli – USP ).
Tem grande paixão por ensinar. Vem dedicando os últimos 20 anos a ajudar as pessoas a se desenvolverem e, consequentemente, ajudar as organizações a terem resultados e performance melhores. 

 
Compartilhe: